Assistência integral à população indígena exige ações baseadas no saber científico somado ao conhecimento e respeito à cultura local e saberes populares Artigo é publicado na revista Arquivos Médicos da FCM/Santa Casa

Compartilhar :

Uma assistência integral à população indígena exige que as ações de enfermagem se baseiem no saber científico, somado ao conhecimento e respeito à cultura local e saberes populares. Essa é a conclusão de artigo publicado na revista Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O objetivo do trabalho foi identificar as ações de enfermagem na assistência à população indígena e sinalizar a importância do enfermeiro nas práticas de saúde coletiva direcionadas às populações indígenas.

Por meio de uma pesquisa bibliográfica exploratória, com análise qualitativa dos dados, foram estabelecidas três categorias que identificam ações de enfermagem: 1) Práticas do enfermeiro no cuidado a população indígena, 2) Interculturalidade e 3) Gestão.

Como prática, se destacaram a supervisão de enfermagem, as ações de educação em saúde e a consulta de enfermagem voltada para o cuidado da população indígena. O tema da interculturalidade se mostra fundamental para o trabalho voltado para essa população. No campo da gestão, foi verificada a dificuldade de integração e articulação do trabalho na Rede de Atenção à Saúde.

O artigo “Assistência de enfermagem à população indígena: um estudo bibliográfico”, de Giovana Alessandra Segunda Cogo Rodrigues, Maria Fernanda Terra, pode ser lido gratuitamente em https://doi.org/10.26432/1809-3019.2018.63.2.100

33 visualizações

Compartilhar :