Fundamentos da Psicopatologia Psicanalítica

32 Horas / Aula

DOCENTE:
Ana Cecília Magtaz: psicóloga, psicanalista, Doutora pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP/Br.), Professora do Curso de Especialização em Psicopatologia e Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP/Br.), Professora do Curso de Especialização em Teoria Psicanalítica do Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP/Cogeae/Br.), Diretora Administrativa da Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental – AUPPF.

OBJETIVOS:

Trabalhando essencialmente com o texto freudiano, esta disciplina visa oferecer uma introdução a conceitos fundamentais da teoria psicanalítica com vistas a permitir uma compreensão da psicanálise como teoria psicopatológica, além de situar os alunos quanto à gênese e constituição da técnica psicanalítica, demonstrando, na obra de Freud, a relação necessária entre experiência clínica, investigação científica e reflexão e produção teóricas. Para tal, seu objetivo é:

1) introduzir o conceito de inconsciente e as formulações freudianas à cerca da estrutura e funcionamento do aparelho psíquico com o objetivo de apresentar o campo psicanalítico de modo análogo à forma como é apresentado por Freud na sua principal obra (A Interpretação dos sonhos), isto é, não tanto a partir da sua dimensão meramente técnica, mas sim, a partir de uma atitude singular do autor diante de suas ocorrências psíquicas e que se caracteriza por ser reflexiva. Por isso, também será objetivo do curso perguntar pelas especificidades do ato reflexivo psicanalítico: o que ocorre quando se vai em busca de si mesmo no campo psicanalítico? A proposta é a de transmitir uma psicanálise desprovida de uma suficiência dogmática e também mostrar que não existe psicanálise sem biografia: a psicanálise é uma ciência do singular, uma ciência do microcosmo pessoal;
2) introduzir a teoria da pulsão em Freud, demonstrando o lugar e a importância da sexualidade na constituição da mente humana partindo da leitura do Três ensaios sobre uma teoria da sexualidadee outros textos freudianos e pós freudianos que abordem a hipótese etiológica sexual na constituição dos sintomas psíquicos.
3) introduzir a 2ª. tópica e a 2ª. teoria das pulsões em Freud a partir das suas formulações sobre o narcisismo e das modificações teóricas introduzidas na década de 1920 a partir de ‘Além do Princípio do Prazer’ e ‘O Ego e o Id’.

JUSTIFICATIVA:

Considerando a importância da psicanálise na história do pensamento e das ciências em geral, especialmente no campo da psicopatologia, considerando que a dimensão das contribuições psicanalíticas para este campo científico só pode ser alcançada a partir do conhecimento de seu arcabouço teórico-clínico fundamental e, por fim, considerando que a melhor e mais clara introdução ao campo psicanalítico é exatamente a obra de seu fundador, acreditamos que um percurso através dos escritos de Freud é essencial para qualquer estudioso da área, sendo, portanto, indispensável em um curso de formação em psicopatologia e saúde pública. Para introduzir as contribuições freudianas fundamentais pode ser extremamente rico e produtivo começar com a obra que o fundador da psicanálise considerou a sua contribuição mais importante para o campo da ciência psicopatológica, ou seja, a Interpretação dos Sonhos, na qual somos introduzidos tanto ao conceito de inconsciente como ao percurso genético de constituição do aparelho psíquico tal como proposto pela teoria psicanalítica, pilares básicos desta abordagem psicopatológica. Também consideramos fundamental a apresentação da teoria das pulsões que, além de ser um dos pilares clássicos dessa abordagem teóricade Freud, é base de toda a psicopatologia psicanalítica, uma vez que é dos destinos da dualidade pulsional, como base do conflito psíquico, que se delineiam os quadros psicopatológicos vistos a partir dessa perspectiva teórica. Ou seja, para conhecer e trabalhar com esta psicopatologia é fundamental percorrer o caminho teórico freudiano, partindo da pulsão como esta foi pré-figurada com os conceitos de libido, libido psíquica, quantum de excitação, excitação exógena e endógena em direção à descoberta de um inconsciente baseado no recalque de fantasias sexuais infantis que forçou Freud a conceituar aquilo que ele chamará posteriormente de mitologia psicanalítica: o conceito de pulsão como conceito limite entre o físico e o psíquico. E por fim, consideramos que os desdobramentos teóricos desses dois pilares da Psicanálise que culminaram na 2ª. tópica freudiana e na introdução da pulsão de morte são indispensáveis para uma fundamentação de uma nosologia psicanalítica.

CONTEÚDO:

Parte I
a) a noção de inconsciente: sua gênese e desenvolvimento em Freud; discussão das noções fundamentais conexas de processo primário e secundário, condensação e deslocamento;
b) o aparelho psíquico e seu funcionamento, 1ª e a 2ª. tópicas freudianas; a questão do conflito psíquico como imanente à constituição do psiquismo; os conceitos de defesa e recalque;

Roteiro de leitura de A Interpretação dos Sonhos

I – Flectere si nequeo superos, Acheronta movebo (Virgílio)
Por em evidencia a singularidade formal da Interpretação dos Sonhos: autor e personagem envolvidos como Dante na Divina Comédia. Para atravessar o inferno, Dante estende a mão a Virgílio: a auto-análise de Freud (a relação de Freud com Flies).

II – A Literatura Cientifica que trata dos Problemas de Sonhos
A nossa intimidade concebida como sonho:
“na vigília pensamos com conceitos ao sonhar com imagens”
Fisiologia psíquica ou o estudo da mecânica da intimidade;
Para que nos aproximamos da intimidade do outro?
O que é um mecanismo psíquico?

III – O Método de Interpretar Sonhos: O sonho de Irma
O sintoma histérico.
A experiência de Freud com Charcot: o fenômeno psíquico e seu impacto corporal;
Nossa intimidade: uma construção em confronto com o mundo externo?
O modelo catártico.

IV – Um sonho é a Realização de um Desejo
O que orienta nossa intimidade?
O que organiza nossa intimidade?
O sonho é uma manifestação orgânica ou psíquica ou psíquica/orgânica ou orgânica/psíquica?
O que desejamos intimamente? Falar do que normalmente não falamos;
A ambição, a inveja, a necessidade, o prazer, o desejo;
A intimidade é um estado conflitivo?
A intimidade sepultada no mutismo.

V – O material e as fontes dos Sonhos
Tempo, memória e desejo: os espelhos reflexivos da nossa intimidade
As vozes da intimidade
Voz interna e consciência
O que impulsiona nossa voz?
Existe algo para além da voz? O pressentimento.
O silencio na intimidade.
Do que se alimenta nossa intimidade?

VI – A Elaboração dos Sonhos
Condensação, deslocamento e elaboração secundária: a expressão;
Formas expressivas na arte;
A linguagem da intimidade se manifesta na intimidade da linguagem; isto é, no interior da língua;
A estranha materialidade de nossa intimidade: a lei;
Não se trata de formular uma teoria geral das emoções, mas de escutar na emoção o efeito necessário da comunicação do corpo com a alma e da alma com o corpo.

VII – A Psicologia dos Processos Oníricos
O que é um modelo?
Do que precisa dar conta um modelo da alma psicanalítico?
A mecânica da alma;
O modelo freudiano da alma humana: a primeira tópica.

Parte II
a) a formulação do dualismo pulsões de auto conservação vs pulsão sexual
b) a transformação em dualismo pulsões do eu versus pulsão sexual
c) o momento monista libido do eu versus libido do objeto

Parte III
a) a última teoria pulsional: pulsões de vida versus pulsões de morte.
b) a 2ª. tópica freudiana: id, ego e superego

Bibliografia Básica
Esta matéria terá como bibliografia básica as obras completas de Sigmund Freud (versão brasileira, Editora Imago, Rio de Janeiro), das quais destacaremos, em função dos pontos programáticos, alguns textos essenciais, que serão trabalhados no todo ou em parte e não obrigatoriamente na ordem aqui apresentada:

A Interpretação dos Sonhos (1900)
Formulações sobre os dois princípios do funcionamento mental (1911)
Sobre a transmutação das pulsões em especial do erotismo anal (1917)

Bibliografia complementar
Pulsões e suas vicissitudes (1914)
Para uma introdução ao Narcisismo (1914)
Três Ensaios para uma Teoria da Sexualidade (1905)
O inconsciente (1915) Suplemento metapsicológico à teoria dos sonhos (1915)
Uma nota sobre o bloco mágico (1925)

Voltar