Equipamento para tratamentos neuropsiquiátricos é desenvolvido na FCM/Santa Casa Verba do CNPQ permite produção e distribuição a centros de pesquisa

Compartilhar :

Equipamento de estimulação elétrica transcraniana por corrente contínua (ETCC / tDCS) é desenvolvido pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP).

Trata-se de uma técnica de estimulação cerebral não invasiva que utiliza corrente de baixa intensidade para estimular ou inibir determinadas áreas do cérebro. Pode ser utilizada em tratamento de diversos transtornos neuropsiquiátricos: depressão, dores crônicas, reabilitação pós-AVC, melhora da cognição e atenção, entre outras aplicações em estudo. É uma técnica já muito utilizada em diversos centros de pesquisa do Brasil e do mundo, rendendo diversas publicações cientificas nos últimos 20 anos. O projeto foi contemplado na Chamada Universal do CNPq de 2016, o que permitiu a execução da pesquisa e a produção de equipamentos nacionais inéditos para distribuição a grupos de pesquisa de instituições de ensino superior de todo o Brasil, ajudando a popularizar e tornar acessível a pesquisadores a técnica.

O  projeto, intitulado “Desenvolvimento de equipamento de Estimulação Elétrica Transcraniana com corrente contínua (ETCC) e validação de seu emprego clínico em  ensaio clínico randomizado duplo-cego em pacientes com transtorno depressivo maior ”, tem a coordenação do Dr. Rafael Bernardon (foto acima) e orientação do Prof. Dr. Quirino Cordeiro, professores da FCMSCSP. A aplicação em pesquisa clínica da versão final do protótipo desenvolvido teve início no início de 2017 e o estudo segue em sua fase final, multicêntrico (FCMSCSP e UNIFESP). Paralelamente, em parceria com a empresa MedSupply, foi produzida a uma nova versão que já conta com o registro ANVISA. Este equipamento está sendo doado a instituições de ensino superior seletas, com recursos do CNPq, como forma de facilitar o acesso e fomentar pesquisas na área.

Os dois primeiros equipamentos deste lote foram para Universidade Nacional de Brasília (UnB) e Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). O projeto pretende doar mais 15 máquinas, incluindo instituições com tradição em pesquisas em neuromodulação e outras que têm projetos consistentes, em estágio inicial, e que não teriam condições de adquirir um equipamento com registro. Cada equipamento tem um valor de mercado de R$ 6,5 mil, enquanto o equivalente importado e com registro custa aproximadamente R$ 30 mil.

A Santa Casa de São Paulo tem destaque no campo da pesquisa em neuromodulação desde a fundação do Laboratório de Neuromodulação Clínico do CAISM (Centro de Atenção à Saúde Mental da Vila Mariana), em meados de 2012, coordenado pelo Prof. Pedro Shiozawa e pelo Prof. Quirino. Compuseram a equipe de pesquisa e colaboraram com este projeto o fisioterapeuta Ivan Taiar, pós-graduando em Ciências da Saúde, na FCMSCSP, na área de biomecânica em transtorno do espectro autista, e Dr. Marcelo Bruno Generoso ambos da FCMSCSP e autores do trabalho recentemente publicado na conceituada revista científica internacional Epilepsy & Behavior.

Acesse o artigo: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1525505018310527?via%3Dihub

Mais informações sobre o equipamento em http://www.neurostim.com.br

Recrutamento e triagem
O ensaio clínico  é multicêntrico e inclui as triagens e tratamentos estão acontecendo no CAISM, que, após ser administrado pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo por 20 anos, passou para a Unifesp em março de 2018 e hoje é administrado por um convênio tripartite entre a instituição, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) e a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo (SES/SP), mantendo parcerias acadêmicas com a Santa Casa. Nesse sentido, foram reabertas as triagens para novos voluntários com depressão para tratamento com uso do equipamento.

Os voluntários que apresentem quadros de depressão unipolar, com idades entre 18 e 69 anos, e tenham disponibilidade para 10 sessões de estimulação transcraniana com corrente contínua (ETCC/tDCS), durante 10 dias (2 semanas), de segunda a sexta-feira, além de algumas sessões de avaliação. podem acessar o questionário online em  http://pesquisa.sospsiquiatria.com/ e fazer o teste

Sobre Dr. Rafael Bernardon
Possui graduação em medicina pela Universidade de São Paulo (2002) e residência médica em Psiquiatria no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP. Mestre em psiquiatria clínica forense pelo Institute of Psychiatry do King’s College (London – UK). Possui especialização em Gestão de Atenção à Saúde pelo IEP – Hospital Sírio Libanês e Fundação Dom Cabral. Professor Instrutor e doutorando na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Coordenou o Serviço de Forense do Centro de Atenção Integrada em Saúde Mental da Santa Casa de São Paulo (PJUR). Atuou como assessor técnico de Gabinete na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo de 2011 a 2017. Foi coordenador adjunto na Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas, do Ministério da Saúde. Atualmente é diretor técnico do CAISM UNIFESP SPDM. Atua na área de políticas públicas em saúde mental, gestão pública, psiquiatria forense e psiquiatria geral do adulto. Contato: pesquisa@sospsiquiatria.com

 

457 visualizações

Compartilhar :