Lançadas cinco chamadas para investimento em pesquisas para o SUS Decit/MS investe 45,2 milhões de reais para o desenvolvimento de projetos em diferentes áreas da saúde

Compartilhar :

O Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia, vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, investe 45,2 milhões de reais em cinco chamadas públicas em temas variados para a saúde. O financiamento divide-se em doenças raras, alimentação e nutrição, cuidados à pessoa com deficiência doenças transmissíveis e negligenciadas e uma específica para malária.

“As linhas de pesquisa elencadas nas chamadas públicas atendem as necessidades da Agenda de Prioridades de Pesquisa do Ministério da Saúde. Este documento foi construído para alinhar as prioridades atuais de saúde com as atividades de pesquisa científica, tecnológica e inovação e direcionar os recursos disponíveis para investimento em temas estratégicos para o SUS. A construção da agenda foi realizada em um processo participativo envolvendo todas as sete Secretarias do Ministério da Saúde”, destacou Camile Giaretta Sachetti, Diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit/SCTIE/MS).

Chamada públicaInvestimento
Chamada para fomento a inquérito sobre perfil de doenças raras no BrasilR$ 3,5 milhões
Chamada para fomento a pesquisas de prevenção, detecção e combate à MaláriaR$ 10,2 milhões
Chamada para fomento a pesquisas sobre doenças transmissíveis e negligenciadasR$ 24 milhões
Chamada para fomento a pesquisas sobre alimentação e nutriçãoR$ 4,5 milhões
Pesquisas para fortalecimento dos objetivos e diretrizes da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS)R$ 3 milhões
Total:R$ 45,2 milhões

“Queremos soluções práticas. Esse é um recurso destinado às pesquisas sobre doenças que interessam ao SUS. Buscamos soluções focadas em produtos dos quais o Brasil precisa, sobre as nossas doenças, nossa realidade”, afirma o Secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, Denizar Vianna Araújo.

Ao fim da execução das pesquisas contempladas, os resultados serão apresentados aos gestores do Ministério da Saúde para que aprimorem as políticas públicas e que a sociedade tenha acesso a novas tecnologias em saúde.

Podem concorrer ao edital pesquisadores com o título de doutor ou livre docência e que sejam vinculados a Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação. As propostas a serem financiadas na chamada deverão ter o seu prazo máximo de execução de três anos.

Todas as chamadas terão acompanhamento em três fases pelo Departamento de Ciência e Tecnologia visando o monitoramento e a avaliação dos projetos para que melhor atendam os interesses do SUS.

As chamadas estão disponíveis na plataforma do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), parceiro do Ministério da Saúde.

Para ter acesso aos editais, acesse o site: http://www.cnpq.br/web/guest/chamadas-publicas

104 visualizações

Compartilhar :