Melhor levar à escola do que deixar filho com os avós, dizem pediatras Professor da FCM/Santa Casa é entrevistado pelo jornal Folha de S. Paulo

Compartilhar :

Diversas escolas do país todo decidiram nos últimos dias suspender as aulas para evitar a propagação do coronavírus. Algumas, no entanto, estabeleceram um período de transição. Nesse intervalo, vale a pena levar a criança para o colégio?

A resposta a essa questão é, em tese, não, mas vai depender da organização das famílias, afirmam pediatras ouvidos pela Folha de São Paulo. Eles concordam que o ideal seria ficar em casa desde já. Por outro lado, dizem, se os pais ainda não acharam um plano B que não seja deixar as crianças com os avós, melhor ir ao colégio.

Isso porque os idosos são o grupo populacional mais vulnerável a complicações causadas pelo vírus. Se tiverem contato com os netos, terão mais chance de contraírem a infecção.

Professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Marco Aurélio Sáfadi diz que não é nenhum drama se a família precisar levar a criança à escola por alguns dias enquanto se adapta.

Ele ressalta que o objetivo mais importante da suspensão das aulas é evitar ou retardar a propagação em larga escala do vírus, mas que o efeito do coronavírus nas crianças não costuma ser grave —embora existam exceções. Pondera ainda que, nesse período de transição, as escolas já estarão mais vazias, o que reduz o risco de contágio.

“Quem está com o vírus hoje são pessoas com acesso fácil a serviços médicos e condições de se isolar em um quarto, por exemplo. A preocupação é quando a doença chegar a quem não tem essa mesma condição, então todos precisam estar atentos”, afirma.

Acesse reportagem completa:

Em PDF

Na internet

 

99 visualizações

Compartilhar :