Não é só o coração: variação do colesterol afeta saúde sexual e até mental Professora da FCM/Santa Casa é entrevistada pelo Portal UOL Saúde

Compartilhar :

Quando falamos de colesterol no sangue, logo vem à mente os riscos que essa gordura oferece ao coração. De fato, quando o nível de LDL (popularmente batizado de “colesterol ruim”), está nas alturas a pessoa tem maior probabilidade de ter um problema cardíaco.

No entanto, o colesterol possui diversas funções no corpo, como participar da produção de algumas hormônios, e sua variação (para mais ou para menos) pode prejudicar o organismo de diversas formas, inclusive na hora do sexo. A seguir, mostramos alguns problemas que podem ocorrer quando a taxa dessa substância está anormal.

1 – Dificuldade de ereção

Para que o pênis fique rígido e permaneça “em pé” durante o sexo, precisa estar cheio de sangue. O LDL alto leva à formação de placas de gordura nas veias e artérias, dificultando a passagem do sangue —daí que ocorre um ataque cardíaco.

“Mas isso pode acontecer também nos vasos que irrigam o órgão sexual masculino, que, aliás, são bem mais finos que os do coração, com cerca de um milímetro de diâmetro. Esse processo pode causar uma disfunção erétil”, explica o urologista Emilio Sebe Filho, diretor médico da Clínica Lifemen.

2 – Diminuição da libido

O colesterol alto atrapalha sua transa e o baixo além do normal também. Isso porque a “falta” dessa gordura no organismo pode afetar a produção de progesterona e a testosterona. “Esses hormônios estão relacionados ao desejo sexual, infertilidade, impotência e a piora dos sintomas da andropausa, menopausa e tensão pré-menstrual”, explica a endocrinologista Rosália Padovani, médica assistente da disciplina de endocrinologia e metabologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

187 visualizações

Compartilhar :