Obesidade dificulta tratamento da asma grave Professor da FCM/Santa Casa é entrevistado

Compartilhar :

Sempre ouvimos falar da obesidade como fator de risco para diversos problemas cardiovasculares, mas o que muita gente não sabe é que ela também pode estar relacionada à asma. Existem dois casos possíveis: o paciente que já é obeso e desenvolve um quadro de asma e o paciente que tem asma e depois se torna obeso (geralmente por conta da doença respiratória). Nos Estados Unidos, por exemplo, cerca de 60% dos pacientes com asma grave estão com sobrepeso ou obesidade.

De acordo com o dr. Roberto Stirbulov, pneumologista e professor adjunto da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a boa notícia é que, eliminando apenas 5% do peso, o paciente já consegue ter melhora do quadro clínico. O que dificulta o emagrecimento é que muitas vezes o asmático se torna depressivo, pois a asma não controlada impede a realização de atividades prazerosas e prejudica muito a qualidade de vida.

Leia reportagem completa aqui.

79 visualizações

Compartilhar :