Os médicos do futuro

Compartilhar :

Por Antonio Monteiro

Dr. Clay Johnson, reitor da Dell Medical School, da Universidade do Texas, e um dos principais convidados da terceira edição do Summit Saúde Brasil, evento, realizado em 17 de agosto, que discute a importância da tecnologia e da inovação para a melhoria dos sistemas de saúde, concedeu recente entrevista a um importante órgão de imprensa paulista.

Dr. Clay atua nessa instituição revolucionária, que visa preparar os médicos voltados para a realidade dos sistemas de saúde encontrando formas de cuidar, não só de pessoas doentes, mas sim, diagnosticar e tratar nossos sistemas de saúde.

Na entrevista, ele chama atenção para o fato de que talvez 80% dos cuidados com a saúde ocorram fora das clínicas ou hospitais e que para enfrentar essa realidade precisamos ter um trabalho multidisciplinar e holístico que deve ser ensinado na moderna universidade.

Afirma que para isso não é suficiente formar bons clínicos, pois: “Nosso foco está em continuar ajudando as pessoas mesmo quando elas não estejam em nossas clínicas ou hospitais”.

Nossa formação médica atual está muito inadequada. Voltada quase que exclusivamente para as doenças, tem privilegiado o uso de alta tecnologia médico hospitalar para tratar doentes, sem se voltar ao estudo e solução dos reais fatores que vem tornando a prevalência dessas doenças verdadeiras epidemias de dimensões assustadoras e que a médio prazo levarão os sistemas públicos ou privados a insolvência.

Dr. Clay reconhece que será muito difícil mudar nossa atual forma de remunerar a atenção à saúde, mas estou certo de que sem essa nova forma de ver saúde, em pouco tempo seremos substituídos por máquinas!

Antonio Monteiro é médico clínico geral e preventivista formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

383 visualizações

Compartilhar :