Pesquisa sobre doença pouco estudada recebe verba da FCM/Santa Casa.

Compartilhar :

Pesquisa sobre a doença relacionada à imunoglobulina IgG4 (IgG4-RD) foi contemplada pelo Fundo de Amparo à Pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, patrocinado pela mantenedora da instituição, a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. A pesquisa é coordenada pelo Dr. Fernando Quintanilha.

A doença relacionada à imunoglobulina IgG4 (IgG4-RD) é relativamente nova, tendo sido identificada no início dos anos 2000. Ainda é pouco compreendida e, por esses fatores, diversas vezes subdiagnosticada nos serviços médicos.

A doença é uma afecção imunomediada que leva a uma reação fibroinflamatória, podendo afetar diversos órgãos do corpo, tais como pâncreas, pulmão, glândulas lacrimais e salivares e linfonodos.

A Otorrinolaringologia destaca a importância desta afecção, pois a “boca seca” é queixa constante nos consultórios e pode ser originário de diversas causas. A doença, portanto, deve ser mais conhecida para que seja possível realizar tratamento adequado quando diagnosticada.

Devido à descoberta recente da IgG4-RD, há poucos estudos nacionais e mínimo conhecimento epidemiológico sobre ela no mundo ocidental, o que ratifica, ainda mais, a necessidade de pesquisas sobre este assunto.

O objetivo do estudo é estabelecer dados epidemiológicos até agora inexistentes na literatura nacional e compará-los aos existentes na literatura mundial, além de também ratificar se realmente os pacientes com xerostomia até então classificados como idiopáticos ou como portadores de outras doenças, como a Síndrome de Sjogren, realmente o são ou se são portadores dessa nova doença pouco estudada e praticamente desconhecida: a IgG4-RD.

Informações sobre a pesquisa: andremonteiroamanda@gmail.com

Sobre o FAP-FCMSCSP

O FAP-FCMSCSP tem como objetivo apoiar o desenvolvimento de projetos de pesquisa, coordenados por docentes da Faculdade/ISCMSP cujos resultados deverão ser divulgados pela publicação em revistas científicas indexadas. São priorizados projetos que permitem o desenvolvimento da estrutura de pesquisa local e a formação de recursos humanos.

361 visualizações

Compartilhar :