Santa Casa integra campanha mundial pelo incentivo à amamentação Evento científico une Hospital e Faculdade em prol do Agosto Dourado e da Semana Mundial de Aleitamento Materno

Compartilhar :

Amamentação

Anualmente, a amamentação inadequada no Brasil resulta em 3 mil mortes infantis evitáveis e em 5 milhões de casos de diarreia e pneumonia, segundo estimativa da Alive & Thrive (A&T), iniciativa que busca a melhora da nutrição materno-infantil.  No mesmo período, são gastos mais de 42 milhões de dólares em tratamentos de mães e bebês pelo sistema de saúde, além de mais de 1 bilhão de dólares em custos domésticos com fórmulas infantis em substituição ao leite materno.

Para mudar esta realidade em nosso país, e outras semelhantes em todo o planeta, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo e em livre demanda, desde a sala de parto até o sexto mês de vida, complementado até dois anos ou mais com alimentação saudável. No entanto, apenas 38% das crianças do mundo são alimentadas conforme esta orientação.

Neste cenário, o Hospital e a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP) realizaram um evento científico sobre a importância da amamentação para o desenvolvimento infantil, nesta quinta-feira, dia 1º de agosto, dando início à XI Semana da Amamentação da Santa Casa de São Paulo. O mês de agosto é considerado Agosto Dourado, cor escolhida pelo padrão ouro de qualidade do leite materno.

Campanha mundial

As ações da Santa Casa integram a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), uma iniciativa da World Alliance for Breastfeeding Action (WABA), realizada desde 1992 entre os dias 1 e 7 de agosto.  A SMAM acontece em mais de 170 países e aborda temas fundamentais para o sucesso do aleitamento materno. Em 2019, o slogan da campanha é “Empower Parents, Enable Breastfeeding”, traduzida como “Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação – hoje e para o futuro!”.

O enfoque está em envolver também os pais no processo de amamentação, bem como toda a família, como rede de apoio à mulher neste período de mudanças e dúvidas. Além disso, os profissionais da área têm discutido as modificações nos conceitos de família e suas implicações sociais e legais em relação ao ato de amamentar.

O evento na Santa Casa

Autoridades do Hospital e da Faculdade abriram o evento manifestando-se sobre a relevância das ações desenvolvidas em prol da amamentação.  “Esta atividade de extensão é motivo de orgulho para todos nós”, afirmou Prof. Dr. Carlos Alberto Malheiros, diretor do Curso de Medicina da FCM/Santa Casa, no início do evento.  “Hoje, somamos conhecimento e participação para incentivar a amamentação, que é algo tão simples, mas ao mesmo tempo tão complexo e cheio de amor”, ressaltou Cid Fernando Pinheiro, coordenador médico do Departamento de Pediatria da ISCMSP.

Prof. Dr. Rogério Pecchini, diretor técnico do Hospital Central da ISCMSP, sugeriu o planejamento para obtenção do selo Hospital Amigo da Criança. “Temos o necessário para o credenciamento: banco de leite profissionalizado, grupo de neonatologia, especialistas no atendimento e no cuidado”. Já a Profa. Dra. Clery B. Gallacci, docente da FCM/ Santa Casa, lembrou a necessidade de “integração entre obstetrícia e pediatria, a qual prioriza os primeiros mil dias de vida do ser humano, a partir da concepção”.

Também participaram da mesa de abertura: Dr. Carlos Augusto Meinberg, superintendente da Santa Casa de São Paulo; Profa. Dra. Monica Vazquez, representando o Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia; a nutricionista Miriam Tavares, representando o Banco de Leite Humano da Santa Casa e Lilian Ransato, Diretora de Enfermagem Corporativa da ISCMSP.

Durante o evento científico, professores da FCM/Santa Casa de SP, obstetras, pediatras, nutricionistas e enfermeiras transmitiram a estudantes e profissionais sua experiência no atendimento às mães e famílias em unidades neonatais e expuseram as pesquisas mais recentes sobre o valor da amamentação para a saúde e os custos da não amamentação em todo o mundo.

Foram tratadas questões atuais e que geram dúvidas entre profissionais da saúde e as famílias, como os direitos da mãe que amamenta, a amamentação no contexto das novas famílias, a preparação para a amamentação, as dificuldades durante a amamentação e a alimentação da lactante. Também foi demonstrada a influência do aleitamento materno na formação de uma microbiota intestinal saudável no bebê e maneiras de incentivar o aleitamento.  Confira aqui a programação do evento e seus palestrantes.

Para saber mais:

Vídeo da Campanha do Ministério da Saúde:

Lançamento da SMAM pelo Ministério da Saúde

Campanha da Sociedade Brasileira de Pediatria

Campanha da Sociedade de Pediatria de São Paulo

Lei nº 13.435, de 12 de abril de 2017: institui o mês de agosto como o Mês do Aleitamento Materno

Aliança Mundial por Ações em Amamentação – Folder em Português

Ministério da Saúde: Caderno de Atenção Básica nº 23 – Aleitamento Materno e Alimentação Complementar

Jornal O Globo: Amamentação interrompida leva a desperdício de US$1 bilhão por dia

The cost of not breastfeeding: global results from a new tool

Tendência de indicadores do aleitamento materno no Brasil em três décadas

Ferramenta para estimar perdas econômicas devido a não amamentação de acordo com as recomendações da OMS

184 visualizações

Vanessa Krunfli Haddad

Compartilhar :