Transmissão ao vivo – Entrevista com Otavio Cury, diretor de “Como Fotografei os Yanomami” Dia 23/8, das 13 h às 14 h

Compartilhar :

Otavio Cury, diretor do documentário “Como Fotografei os Yanomami”, que estreou recentemente em São Paulo, será o entrevistado da tranamissão ao vivo desta quinta, 23/8, pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. O filme retrata as complexidades da assistência à saúde promovida pelo governo brasileiro ao território indígena.

Acesse, dia 23/8, a partir das 13 h, https://www.facebook.com/faculdade.santacasasp

Encaminhe perguntas para Otavio Cury pelo e-mail: oscar.dambrosio@fcmsantacasasp.edu.br

Referindo-se aos médicos e enfermeiros que realizam o atendimento na reserva indígena, o diretor relatou: “Quis conhecer essas pessoas que passam mais tempo na floresta do que com suas famílias; quem são elas, como veem os Yanomami e como se transformam com a longa vivência nas aldeias”.

Assista ao trailer em: https://www.youtube.com/watch? v=zuXCw6cL_s4

Leia críticas recebidas pelo filme:
1) https://oglobo.globo.com/ rioshow/critica-como- fotografei-os-yanomami- 22961063

2) https://vertentesdocinema.com/ 2018/07/31/critica-como- fotografei-os-yanomami/;

3) http://www.adorocinema.com/ filmes/filme-246099/criticas- adorocinema/.

Sobre o filme
Uma viagem feita em 2013 pelo diretor Otavio Cury (diretor do também documental Constantino) a uma das regiões mais remotas da Terra Yanomami – a Serra de Surucucu, em Roraima, nas montanhas que fazem divisa com a Venezuela – foi o ponto de partida para o filme.

A narrativa traz o ponto de vista de enfermeiros e técnicos de enfermagem que passam mais tempo na floresta do que com suas famílias: como veem os Yanomami  e como se transformam com a longa vivência nas aldeias? Como lidam com os pajés e com uma concepção diferente de doença? Em sequências que oferecem contraponto à visão branca dos atendimentos, o filme dá voz a uma agente de saúde Yanomami e apresenta a visão de mundo do xamã Davi Kopenawa, a partir de passagens do livro “A queda do céu, memórias de um xamã Yanomami”, de Davi Kopenawa e Bruce Albert. Por meio de sua narrativa documental, Cury apresenta um relato sensível e chama ainda atenção para o futuro da floresta e dos Yanomami.

Sobre o diretor
O paulistano Otavio Cury é diretor de fotografia e de documentários. Sua filmografia inclui Cosmópolis (2005), Constantino (2012) e História de Abraim (2015). Em Constantino, sua obra de maior destaque, retoma a trajetória do bisavô, o dramaturgo sírio Daud Constantino Al-Khoury (1860-1939), por meio de uma viagem à Síria. Constantino foi filmado antes do início da revolução síria. Já o curta-metragem História de Abraim (2015) retrata a vida de uma liderança da etnia Macuxi na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, também em Roraima.

Ficha técnica Como Fotografei os Yanomami
Direção e roteiro: Otavio Cury
Produção executiva: Alice Riff e Leonardo Kehdi Jr
Direção de fotografia: Julia Zakia e Otavio Cury
Técnico de som: Maurício Zani
Desenho de som e mixagem: Dr Morris
Direção de produção: Laila Pas
Colaboração no roteiro: Sofia Mariutti
Montagem: Otavio Cury e João Toledo
Letreiros: Renato Batata
Design: Diego Prosen
Pesquisa de personagens: Flavia Maia
Correção de cor: Henrique Reganatti
Produtor de finalização: Giba Yamashiro
Produção: Outros Filmes
Co-produção: Studio Riff
Distribuição: Descoloniza Filmes
72 min | 2018

102 visualizações

Compartilhar :