Generic filters
Somente termos exatos
Buscar no título
Buscar no conteúdo
Search in excerpt

vem pra santa

04/03/2024

Novos alunos de Medicina e Fonoaudiologia são recebidos com informação, cultura e lazer

A abertura do PIPA 2024 ocorreu em 29 de fevereiro e foi organizado pelos centros acadêmicos

Os novos alunos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) participam das atividades do Programa de Integração dos Primeiro-Anistas (PIPA). Nesta quinta-feira (29/fev), ocorreu a recepção dos calouros dos cursos de Fonoaudiologia e Medicina da Faculdade. 

A iniciativa, que anualmente é organizada pela Faculdade em colaboração com o Centro Acadêmico Manoel de Abreu (CAMA) e, atualmente, com o Centro Acadêmico Maria do Carmo Redondo (CAMCR), foi criada para substituir os trotes e melhor integrar os alunos às turmas, aos seus cursos, aos projetos e rotinas acadêmicas como um todo, inclusive aquelas que ocorrem dentro do complexo hospitalar da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). 

 Participaram da abertura das atividades o diretor da FCMSCSP, o Profº Dr. Carlos Alberto Herrerias de Campos; o vice-diretor da FCMSCSP, o Profº Dr. Luiz Henrique Amaral;  diretora do curso de Medicina, a Profª Dra. Giselle Burlamaqui Klautau; a vice-diretora do curso de Medicina, a Profª Rosane Lowenthal; a diretora do curso de Fonoaudiologia, a Profª Dra. Marina Padovani; a vice-diretora do curso de Fonoaudiologia, a Profª Dra. Adriana Gurgueira; e o coordenador de Cultura da Faculdade, Profº Dr. Décio Cassiani Altimari, que apresentou a história da Faculdade e das Santas Casas de Misericórdia.  

Após a apresentação do professor, os Centro Acadêmicos de Fonoaudiologia e Medicina deram as boas-vindas aos novos alunos, bem como enfatizaram a política antitrote da Faculdade, apresentando a ouvidoria de cada entidade e as atividades que foram pensadas para a melhor integração entre os calouros e veteranos. A Associação Atlética Acadêmica Manoel de Abreu (A.A.A.M.A) e a BatuSanta também estiveram presentes na recepção dos novos alunos. 

Ensino humanizado é um dos diferenciais da Faculdade da Santa Casa de SP 

O PIPA, que foi criado para proporcionar o primeiro contato do estudante ingressante com a comunidade acadêmica, evidencia as atividades extensionistas e o currículo baseado em competências da Faculdade. Ao dar as boas-vindas aos alunos, a Profª Dra. Giselle Burlamaqui Klautau destacou como serão os próximos anos dos alunos da Faculdade. 

Durante a abertura, foi evidenciado que a Faculdade possui um currículo baseado em competências, incentivando uma formação humanística e o olhar crítico sobre o processo saúde-cuidado-doença. “Vocês serão cobrados a serem bons profissionais. Essa é a nossa responsabilidade social: de formar profissionais preparados para o mercado de trabalho”, reforça a professora. 

A formação humanizada que torna a FCMSCSP como referência no ensino da saúde inicia desde o PIPA, por meio da prática interprofissional, que, para a Profª Dra. Marina Padovani esta relação deve começar desde o primeiro dia de aula. “Esse é um compromisso que a Faculdade tem e nós cumprimos com o que a gente acredita. E nossa tradição ocorre junto com as grandes universidades porque nós não trabalhamos com o mínimo”, diz. 

“Quem trabalha com o mínimo, nivela por baixo. Nós trabalhamos com o que é necessário, para que vocês estejam atualizados com uma formação de excelência. Estamos sempre atentos com o que precisa ser atualizado para que a gente se manter nesse patamar”, conclui a professora. 

A atualização no processo de ensino-aprendizagem considera o contexto social em que as pessoas vivem como um elemento decisivo na formação de cidadãos e profissionais médicos. Assim, o novo currículo coloca o aluno no centro do processo, em que há uma ampliação no apoio pedagógico durante a formação da comunidade acadêmica, bem como a ampliação de atividades práticas e extensionistas. Consecutivamente, esta mudança também requer um maior envolvimento do aluno no aprender e um compromisso responsável com sua aprendizagem.  

Segundo a Profª Dra. Adriana Gurgueira, por exemplo, para se ter uma boa relação interprofissional é necessário ter uma boa convivência, que pode ser formada durante as boas-vindas, como, por exemplo, pela relação entre os novos alunos e seus veteranos. 

A boa convivência também foi referenciada pela Profª Dra. Rosane Lowenthal, que considera os novos alunos como uma comunidade. “A partir de agora vocês são uma comunidade e uma comunidade olha para o outro, cuida do outro. Mesmo nos momentos mais felizes, vocês também vão ver momentos difíceis e esse cuidar do outro é muito importante”, enfatiza a professora. 

Tradição da FCMSCSP é marcada por personagens relevantes na história da Medicina 

 Já virou tradição o professor Décio Altimari participar da abertura do Portas Abertas. Em 1963, durante a fundação da FCMSCSP, o professor foi convidado a avaliar o primeiro Vestibular. Um ano depois, foi contratado como professor instrutor. Participou da criação da disciplina de Genética Médica, até hoje coordenada por ele. 

Em 60 anos, desempenhou diversas funções de direção na Instituição, coordenou muitos vestibulares e já participou de inúmeras edições de eventos como o PIPA e o Portas Abertas. Nas edições do PIPA, cabe a ele apresentar a história da Faculdade da Santa Casa de São Paulo, que se iniciou muito antes de 1963, ano de sua aula inaugural. 

A história da Faculdade se confundi com o surgimento das Santas Casas de Misericórdia, bem como a criação da cidade de São Paulo, trajetórias que deram início quando o Brasil ainda era colônia de Portugal. 

A Faculdade é considerada pelo professor como um time de futebol, com onze pessoas responsáveis pelo legado da Santa Casa. O Profº Decio também diz que a Faculdade é um time vencedor, visto que, consecutivamente, recebe a nota máxima no MEC, considerando seu ensino como de excelência. “Eu falei também que o time da Faculdade tem uma torcida. Uma torcida constituída por 600 professores, os mais de 6000 alunos graduados desde 1968, aos quais vão se juntar os atuais veteranos da Medicina e da Fonoaudiologia e, vocês, que agora entram e começam seu curso”, diz. 

“E como toda torcida, existe um chefe de torcida. Um chefe de torcida que não veio aqui da Faculdade, veio de fora, da USP. E, desde que chegou ama essa Instituição, todos nós a amamos e vocês amarão também. E quem é esse chefe de torcida? Eu”, conclui o Profº Dr. Decio Altimari. 

Centros Acadêmicos garantem aproximação entre alunos de várias turmas ao longo da graduação 

O Centro Acadêmico Manoel de Abreu (CAMA) e o Centro Acadêmico Maria do Carmo Redondo (CAMCR) estiveram presentes nas boas-vindas para apresentar os membros de cada entidade, falar da política anti-trote na Faculdade e como denunciar assédio. “Todo mundo fica com muito receio dos trotes, do histórico que as faculdades de Medicina têm, mas eu queria falar que a Santa Casa não tem trote. Trote é totalmente proibido e a gente tem várias instâncias coibindo isso desde o momento que vocês entram”, diz Victor, presidente do CAMA. 

Durante a apresentação, os membros dos centros acadêmicos questionaram aos novos alunos o que é trote para eles, além de apontar exemplos de trotes violentos que ocorreram em outras instituições, inclusive a repercussão que ocorreu ano passado sobre os jogos femininos na InterMed, criticando as ações. “O PIPA surgiu em represaria aos trotes. É uma forma de ressignificar tudo o que constituído ao longo da tradição dos cursos de Medicina”, reforça Victor. 

Na oportunidade, os alunos também reforçaram as diversas possibilidades de integração na Faculdade e os diversos campos disponíveis aos calouros dentro dos centros acadêmicos. A ouvidoria do CAMA e a equipe de relações acadêmicas do CAMCR também explicaram como denunciar assédios e se disponibilizaram para quaisquer dúvidas. 

As entidades também foram responsáveis pela inclusão dos calouros por meio de atividades que ocorreram na parte da tarde, como, por exemplo, o apadrinhamento dos alunos de Fonoaudiologia e o almoço que ocorreu na sede do CAMA. 

A Atlética de Medicina também pode se apresentar e falar brevemente sobre as próximas atividades, como as festas e o início dos treinos para os campeonatos entre calouros, popularmente conhecidas como CaloMed e InterCalou. 

Conheça o PIPA 

A recepção dos alunos novos foi realizada, por anos, pelo Centro Acadêmico de Medicina, proporcionando acolhimento e o primeiro contato do ingressante na Faculdade com seus pares e com a Instituição pelo projeto intitulado Programa de Integração dos Primeiro-Anistas (PIPA). 

Desde 2021, entretanto, a Faculdade passou por uma série de mudanças estruturais com ênfase no ensino baseado em competências e centrado no aluno, onde as competências são trabalhadas desde o primeiro ano. Assim, com integração curricular e com ênfase em atividades extensionistas, foi pensado em um novo modelo de programa chamado Pipão. 

As atividades têm duração de uma semana e conta com a apresentação de projetos de extensão, entidades estudantis, palestras, aulas práticas, rodas de conversa, entre outros. No caso dos cursos de Enfermagem, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Sistemas Biomédicas, as atividades ocorrem no período noturno. 

É possível acompanhar o cronograma de atividades e saber mais sobre o projeto pelo Caderno do PIPA 2024, construído pelos alunos de Medicina da FCMSCSP. Clique aqui e acesse o caderno. 

Confira abaixo as fotos do evento: