Professores e alunos debatem os desafios da ciência brasileira Acadêmicos e pesquisadores participaram do XII Fórum Científico da FCM/Santa Casa

Compartilhar :

Professores Rita de Cássia Barradas Barata e Wagner Ricardo Montor durante debate. Clique sobre a imagem para ver mais fotos do evento

Qual o futuro da ciência brasileira diante do atual contexto político e econômico?  Este foi o tema da apresentação e debate que abriram o XII Fórum Científico da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Santa Casa de São Paulo, nesta quarta-feira, 24. O evento anual reúne alunos, professores e pesquisadores para a divulgação e avaliação dos trabalhos de iniciação científica contemplados com bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da própria faculdade.

A Profa. Dra. Rita de Cássia Barradas Barata, do Departamento de Saúde Coletiva da FCM / Santa Casa, expôs os desafios para a ciência em tempos de crise, delineando um panorama do financiamento público do setor nos últimos anos, com cortes nos investimentos e contingenciamento de verba orçamentária.

Segundo a professora, há uma descontinuidade das políticas públicas de ciência e tecnologia, com instabilidade no provisionamento do dinheiro necessário à construção de um projeto de Estado de longo prazo e o desrespeito sistemático às leis que determinam o destino destes recursos. “É um crime o ‘desfinanciamento’ da ciência no país, pois ele destrói rapidamente o que levou anos para ser construído”, ponderou Rita.

Para a pesquisadora, não é possível imaginar uma reversão rápida da situação. “O caminho para não desmoronarmos é nos vincularmos às redes de colaboração e passarmos a depender do financiamento externo”, apontou. “Sempre fomos privilegiados por ter financiamento interno e, assim, criarmos nossa própria agenda de pesquisas. Agora, vamos ter de trabalhar na agenda dos outros países”, previu, ressaltando que é importante que as universidades continuem trabalhando.

Ciência para todos

Durante o debate, discutiu-se, entre outros assuntos, a desvalorização da ciência pela população.  De acordo com o Prof. Dr. Wagner Ricardo Montor, presidente da Comissão Científica da FCM/Santa Casa, uma das causas é a falta de divulgação científica para os leigos. “Muitas vezes, o jornalismo científico se resume à tradução de periódicos internacionais. As boas revistas de difusão de ciência que existem acabam sendo lidas pelos próprios cientistas”, comentou.

Montor ressaltou que, para escrever uma matéria sobre ciência, o jornalista precisa apresentar detalhes e inserir dúvidas que não são compreendidas pelo público, que fica com a impressão “enrolação”.  Para reverter a situação, o professor defende o ensino do método científico nas escolas, para que os estudantes passem a entender como a ciência é feita.

Avaliação interna e externa

Ao longo do evento, os bolsistas apresentaram oralmente as produções científicas decorrentes das bolsas vigentes em 2016/2017. Os quase 50 trabalhos foram avaliados tanto pela Comissão Científica da FCM/Santa Casa quanto por um comitê externo, cujo convite para atuar na análise é requisito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) do CNPq.  A apresentação oral é uma das atividades consideradas pelo CNPq para a ponderação sobre o desempenho do aluno. O resultado final é levado em consideração em próximas solicitações de concessão de bolsa.

Neste ano, integraram o comitê externo os pesquisadores: Prof. Dr. Eduardo Schor, professor afiliado e chefe do Setor de Algia Pélvica e Endometriose do Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo; Profa. Dra. Aurea Tamami Minagawa Toriyama, docente do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica da Escola de Enfermagem da USP; Profa. Dra. Roseli Oselka Saccardo Sarni, professora titular da Disciplina de Clínica Pediátrica do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina do ABC; e Prof. Dr. Vani Xavier de Oliveira Junior, professor associado no Centro de Ciências Naturais e Humanas da Universidade Federal do ABC.

219 visualizações

Compartilhar :