Especialistas apontam retrocesso em cobertura de vacinas no Brasil Professor da FCM/Santa Casa participa de audiência pública em Brasília, DF

Compartilhar :

A redução na cobertura de vacinas no Brasil e o retorno de doenças por baixa imunização são objeto de análise de um grupo de trabalho da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara. Especialistas, entre eles, o Prof. Dr. Marco Aurélio Sáfadi, docente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, ouvidos em audiência pública na quinta-feira (26), em Brasília, DF, apontaram retrocessos nesse sistema. Veja vídeo com entrevista do professor aqui.

O diretor do departamento de logística em Saúde do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira, destacou que o planejamento da aquisição de vacinas é feito com base nas demandas das secretarias estaduais.

Ferreira informou que o maior desafio em relação às vacinas é a logística que envolve o transporte de produtos que precisam ser constantemente refrigerados. “Diferente de um fornecedor de insumos, eu não acabo a minha missão quando eu entrego. Eu preciso me preocupar com a capacidade que o estado tem de receber aquilo, se ele não tiver eu não posso entregar porque aquela carga não pode ser perdida”, informou.

O presidente do grupo de trabalho que avalia o Programa Nacional de Imunização, deputado Pedro Westphalen (PP-RS), lembrou que o objetivo do grupo é justamente conhecer melhor a logística que envolve as vacinas, para propor melhorias nessas práticas e garantir o acesso à vacina para toda a população.

Ele disse ainda que alguns deputados do grupo devem ir ao aeroporto de Guarulhos (SP) para conhecer as instalações do Ministério da Saúde para a guarda e distribuição de medicamentos.

Para o representante do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde, Leonardo Vilela, são necessárias campanhas educativas para aumentar a cobertura vacinal, além de um melhor planejamento para que as vacinas estejam disponíveis em número suficiente para toda a população.

62 visualizações

Compartilhar :