Violência doméstica de gênero é reconhecida nos serviços de Atenção Primária à Saúde Artigo é publicado na revista Arquivos Médicos da FCM/Santa Casa

Compartilhar :

A violência doméstica de gênero é reconhecida nos serviços de Atenção Primária à Saúde (APS) e as mulheres se sentem acolhidas para falarem sobre o problema nessas instituições, porém, a APS aparentemente, se mostra desarticulada dos demais serviços da rede. Essa é a conclusão de artigo publicado na revista Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O texto aponta que a violência contra as mulheres é resultante das desigualdades de gênero na sociedade. Nesse contexto, a Atenção Primária à Saúde (APS) é intensamente procurada pelas mulheres em situação de violência, mas nem sempre as respostas recebidas contribuem para tornar a Rota menos crítica no enfrentamento da violência.

Este estudo buscou identificar as Rotas Críticas das mulheres, a partir da APS. Trata-se de um estudo qualitativo, a partir da análise de 5 entrevistas com mulheres indicadas pela APS em situação de violência.

O artigo “A situação de violência doméstica de gênero na atenção primária à saúde”, de Camila Faria Pierotti, Ana Flávia Pires Lucas d’Oliveira e Maria Fernanda Terra, pode ser acessado gratuitamente na íntegra em https://doi.org/10.26432/1809-3019.2018.63.1.12.

18 visualizações

Compartilhar :