14/4/21

Entenda a ciência por trás do cérebro humano Como a neurociência pode ajudar pessoas e organizações

Há anos discute-se as grandes mudanças que a última revolução tecnológica impõe continuamente a todos os setores produtivos da sociedade, desde as multinacionais até estabelecimentos locais de comércio e serviços, além das atividades de empreendedores individuais. Enquanto profissões são extintas devido à automatização dos processos e uso da inteligência artificial, outras são criadas e demandam profissionais preparados para um mundo digital, global, veloz, interativo e colaborativo.

Hoje, as competências esperadas de um profissional ultrapassam as técnicas e tecnológicas (as chamadas hard skills): é preciso criatividade, segurança para tomar decisões e criar soluções, comunicação, empatia, inteligência relacional, flexibilidade cognitiva e capacidade de adaptação (soft skills).  O futuro do trabalho se faz presente agora, nas exigências do cotidiano profissional. O que é importante nesse momento será indispensável em poucos anos.

Quem trabalha com gestão de pessoas tem a responsabilidade de guiar os seus colaboradores para o desenvolvimento pessoal e profissional com vistas a um futuro que seja sustentado, ou seja, que permaneça na vida desses funcionários e na cultura das organizações. Não é fácil lidar com pessoas, sobretudo quando é preciso que mudem comportamentos e sintam-se motivadas a aprender novas estratégias para trabalho em equipe, gestão do tempo, comunicação assertiva, maior produtividade.

Muitas vezes, os primeiros a requererem essa motivação são os próprios gestores, sejam líderes de equipes ou profissionais de recursos humanos. Isso acontece porque não é incomum terem investido tempo e dinheiro – e obtido pouco retorno –  em consultorias e ferramentas as mais diversas que prometem resultados por meio de avaliações e treinamentos. A questão, no entanto, tem menos a ver a qualidade desses recursos e mais com a sua aplicação isolada, sem o suporte do conhecimento de como o cérebro humano funciona.

É nesse ponto que a neurociência se faz condição imprescindível:  aplicada ao contexto corporativo ela oferece subsídios teóricos comprovados cientificamente para abordagens persuasivas de treinamento e comunicação, tanto verbal quanto não verbal. Entender o comportamento humano a partir da neurociência possibilita aos líderes a definição de práticas mais assertivas que, além de estimular a produtividade e qualidade na entrega das equipes, propiciam um ambiente com mais qualidade de vida.

A Faculdade da Santa Casa de São Paulo está com inscrições abertas para a Especialização em Neurociência e o Futuro Sustentado de Pessoas e Organizações, que atende à necessidade de preparar as empresas, as lideranças e todas as pessoas que trabalham nessas empresas para prosperar em um futuro cada vez mais próximo.

 

Especialização em Neurociência e o Futuro Sustentado de Pessoas e Organizações:

➡Saiba mais sobre o curso: bit.ly/NeuroNaSanta
➡ Conheça nosso corpo docente: bit.ly/ProfessoresDaSanta
➡ Inscreva-se até 16 de abril: bit.ly/PósNaSanta

 

85 visualizações