Diagnósticos de Enfermagem a Pacientes Cirúrgicos com Injúria Renal Aguda Trabalho foi premiado no 42º Encontro Nacional dos Estudantes de Enfermagem

Compartilhar :

Para lembrar a importância da Semana da Enfermagem, celebrada de 12 a 20 de maio de 2020, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo apresenta algumas de suas ações de ensino, pesquisa e extensão de destaque.

Uma delas concedeu a aluna GLAUCIA RIU a PREMIAÇÃO DE DESTAQUE pela APRESENTAÇÃO NA MODALIDADE ORAL do trabalho DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM A PACIENTES CIRÚRGICOS COM INJÚRIA RENAL AGUDA no 42º ENCONTRO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENFERMAGEM, realizado de 21 a 27 de julho em Brasília, DF. O trabalho também foi apresentado no Congresso Latino Americano de Nefrologia e Hipertensão/2019.

Os autores são, além de GLAUCIA RIU, MARCELLA BIANCO ERMINI, APARECIDA SANTOS NOIA, JANETE HATSUKO KOMESSU, EMMANUEL A. BURDMANN E GRAZIELA RAMOS B. DE SOUZA.

RESUMO DO TRABALHO
A injúria renal aguda (IRA) é uma complicação frequente em pacientes hospitalizados e está associada ao aumento da gravidade em pacientes submetidos a grandes cirurgias. A incidência geral de IRA hospitalar é de aproximadamente 5%, chegando a 50% em pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O desenvolvimento perioperatório de IRA está associado ao aumento do tempo de internação, dos custos, da morbidade e da mortalidade. Neste cenário, em que os pacientes cirúrgicos apresentam risco aumentado para IRA, é necessário que o enfermeiro realize a sistematização da assistência de enfermagem (SAE) com base na fisiopatologia da doença para a melhoria da qualidade da assistência de enfermagem direcionada a estes pacientes e para contribuir com o diagnóstico precoce de IRA, numa fase em que os indivíduos respondam melhor ao tratamento e que não evoluam para IRA mais grave, com necessidade de terapia renal substitutiva (TRS). A fim de padronizar a linguagem e direcionar a assistência, é de extrema relevância que o enfermeiro estabeleça os diagnósticos de enfermagem (DE). A classificação de DE da North American Nursing Diagnosis Association International (NANDA – I), além de padronizar a comunicação, oferece uma maneira de classificar e categorizar as áreas de preocupação do enfermeiro. Os DE podem ser focados em um problema, um estado de promoção de saúde ou um risco potencial.

CONCLUSÃO
A incidência de IRA foi elevada (66,5%) nesta população e o volume urinário parece ser fundamental para o diagnóstico de IRA. De acordo com os diagnósticos de enfermagem prioritários para estes pacientes, foram determinados oito diagnósticos de enfermagem de risco e quatro DE com foco no problema.

Acesse o trabalho na íntegra.

Acesse o diploma de premiação.

Conheça outras ações do Curso de Enfermagem da FCM/Santa Casa: http://fcmsantacasasp.edu.br/semana-da-enfermagem-2020/

 

 

 

239 visualizações

Compartilhar :