17/03/21

Homeopatia, um olhar mais atento ao paciente Com escuta sensível e aprofundada, prática de mais de duzentos anos ganha cada vez mais adeptos no Brasil

Compartilhar :

A homeopatia, especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) desde 1980, vem chamando cada vez mais a atenção tanto de médicos em busca de uma formação mais humanista como de pacientes que optam por tratamentos alternativos. A principal característica da especialidade é a escuta atenta, feita em longas consultas com anamneses bem detalhadas, e um olhar mais abrangente sobre o paciente. O outro pilar fundamental da homeopatia é o tipo de remédio usado nos tratamentos, feitos com extratos provenientes dos reinos animal, mineral e vegetal e sempre muito diluídos.

“A homeopatia tem a visão do ser humano em sua integralidade, usando medicamentos dos diversos reinos da natureza”, resume Oswaldo Cudízio Filho, homeopata e pediatra pela Associação Médica Brasileira (AMB) e coordenador do curso de pós-graduação em homeopatia que Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) acaba de lançar. “Para médicos especialistas em outras áreas, a homeopatia agrega conhecimentos fortalecendo a visão do conceito saúde X doença, e aumentando o seu arsenal terapêutico”.

Ao contrário da alopatia, o tratamento homeopático foca no paciente e na história da doença, estimulando o organismo a processar a autocura.  Com o uso de medicamentos homeopáticos, preparados a partir de uma solução de álcool e água (tinturas) e diluídos muitas vezes para diminuir os efeitos colateriais. A super diluição faz com que o remédio seja tomado em pequenas doses, com uma frequência maior e por mais tempo que os medicamentos alopáticos – daí a expressão popular “em doses homeopáticas”.

Experimentos e relatos de pacientes mostram que a ciência criada pelo alemão Samuel Hahnemann (1755-1843) no final do século 18 é resoluta em muitos tipos de tratamentos – nas alergias de pele e respiratórias, por exemplo, e daí o sucesso da homeopatia entre crianças – e como tratamento auxiliar em casos de doenças mais severas, como câncer.

A especialidade também tem resultados positivos em casos de depressão e ansiedade. Para a jornalista Débora Toledo, o uso das “bolinhas”, aliada à psicoterapia, foi fundamental para a retirada dos remédios alopáticos após uma forte crise de pânico. “Após o desmame do antidepressivo e do ansiolítico, fiquei insegura em ter uma nova crise de ansiedade”, conta Débora. “Foi quando troquei o psiquiatra pela homeopata. Desde então, há quatro anos, nunca mais tive crise nem precisei usar mais ansiolítico.”

A verdade é que se antes a homeopatia era tida como uma alternativa à alopatia, hoje ela é mais vista como uma prática complementar à medicina convencional. Tanto que, desde 2006, ela faz parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares do Ministério da Saúde, sendo oferecida gratuitamente em unidades da rede pública. Em São Paulo, uma lei de 2017 estabeleceu a criação do Serviço de Atendimento Homeopático nos hospitais municipais.

Como parte de políticas públicas, a homeopatia é uma ótima aliada na atenção primária da saúde da população, evitando o aumento de doenças crônicas e do número de internações e procedimentos médicos que têm altos custos para os cofres públicos.

No curso recém-lançado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa, coordenado por Oswaldo Cudízio Filho em conjunto com os professores Igor Polonio e Mauro Prado da Silva, o foco é capacitar o profissional de saúde para a prática da homeopatia, proporcionando o domínio dos conceitos fundamentais da especialidade e permitindo a vivência destes conceitos através da prática ambulatorial. “Além disso, trará ao médico subsídios teórico-práticos para o desenvolvimento e condução de pesquisas cientificas na área”, finaliza Cuzídio Filho.

Saiba mais sobre o curso aqui, com inscrições até 26 de março de 2021.

CINCO CURIOSIDADES SOBRE A HOMEOPATIA

1. Origem

A Homeopatia foi criada no fim do século 18 pelo médico alemão Samuel Hahnemann. Foi trazida ao Brasil em 1840 por Benoit-Jules Mure, discípulo de Hahnemann, teve seu ensino oficializado em 1918, e passou por altos e baixos até ser reconhecida como especialidade médica na década de 1980.

2. Doses homeopáticas

A origem dos remédios pode ser dos 3 reinos da natureza (animal, mineral e vegetal). Há também medicamentos preparados a partir de radiações e de outras fórmulas industriais. São bem diluídos, preparados a partir de uma solução de álcool e água.

3. Fala que eu te escuto

As consultas homeopáticas são famosas por serem muito detalhadas. Isso porque, para o homeopata, interessa saber o máximo possível de informações sobre como o paciente reage a situações externas e ao seu modo de vida.

4. Inspirado em Hipócrates

A Homeopatia é fundada em um princípio chamado Lei dos Semelhantes, segundo o qual substâncias que são capazes de desencadear num indivíduo saudável um conjunto de sinais e sintomas pode curar estes sintomas se for aplicada corretamente, e na dose certa, em um indivíduo doente – ideia anteriormente defendida pelo pai da medicina, Hipócrates.

5. E contando…

De acordo com a Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB), há cerca de 2.900 médicos homeopatas no Brasil, responsáveis pelo atendimento de 50 milhões de pessoas.

403 visualizações

Compartilhar :