1/10/2020

Inquérito de cobertura vacinal nas capitais de 19 Estados e no Distrito Federal Pesquisador responsável é professor da FCM/Santa Casa

Compartilhar :

Docente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o Prof. Dr. José Cássio de Moraes é o pesquisador responsável pelo Inquérito de Cobertura Vacinal nas capitais de 19 Estados e no Distrito Federal que tem como objetivo estimar a cobertura vacinal aos 12 meses, aos 18 meses e aos 24 meses de crianças residentes nas áreas urbanas das capitais brasileiras e nascidas em 2017.

O Inquérito, proposto pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), ligado ao Ministério da Saúde, é de um corte retrospectivo que obterá a trajetória de vacinação da criança desde seu nascimento até o momento da entrevista, em um cenário que se caracteriza, nos últimos 4 anos, pela queda da cobertura vacinal, agravada pela pandemia de Covid 19.

No ano passado, a cobertura vacina estava em torno de 80% e, neste ano, está em torno de 50%. O acúmulo de pessoas não vacinadas poderá provocar o ressurgimento de doenças eliminadas (como a poliomielite) e aumento da ocorrência de outras doenças (coqueluche, meningite, sarampo, etc.)

Os objetivos específicos são:

– Estimar as coberturas vacinais relativas a BCG, hepatite B, Poliomielite, Pentavalente, rotavirus humano, febre amarela, meningococo conjugada C, pneumococo conjugado 10 valente, influenza, Hepatite A, tríplice viral, varicela e reforço para DPT e Poliomielite;

– Estudar o acesso aos serviços para obtenção da primeira dose de vacina avaliada por meio da cobertura para a primeira dose de DPT (penta ou tetra valente) no primeiro ano de vida;

– Analisar o cumprimento do calendário proposto levando em conta as idades preconizadas pelo calendário oficial do PNI e os intervalos corretos entre as doses (doses válidas);

– Verificar a adequação do esquema vacinal realmente aplicado às normas ideais (comparação entre doses aplicadas e doses válidas);

– Comparar as doses aplicadas e os dados de produção dos serviços de atenção básica;

– Estimar a proporção de crianças que utilizam serviços privados para imunização;

– Estudar as coberturas vacinais, esquema completo, as condições de vida predominantes nas áreas ou estratos correspondentes e dados socioeconômicos das famílias.

O processo amostral se fará em três etapas. A primeira é dividir os setores censitários em estratos socioeconômicos de acordo com dados de renda e escolaridade do chefe da família. Em cada estrato socioeconômico definido ecologicamente, será sorteado um número variável de nascidos vivos em 2017.

A segunda etapa, após georeferenciar os nascidos vivos nos setores censitários, será formar conglomerados de setores com 28 ou mais nascidos vivos em cada estrato.

A terceira etapa será o sorteio de um número variável de conglomerados em cada estrato socioeconômico. Esse procedimento se repetirá em cada uma das capitais.

Um pesquisador devidamente identificado visitará os domicílios sorteados e fará algumas perguntas e tirará uma foto da caderneta de vacinação

O estudo permitirá ao Programa Nacional de Imunização realizar estratégias para melhorar a cobertura vacinal.

66 visualizações

Compartilhar :