Labirintite sem mistério: condição afeta pessoas de todas as idades Diretor da FCM/Santa Casa é entrevistado pela Revista Bem Estar de São José do Rio Preto (SP)

Compartilhar :

O Prof. Dr. José Eduardo Lutaif Dolci, otorrinolaringologista e diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), é entrevistado pela Revista Bem Estar  – São José do Rio Preto, SP, Encadernado no Diário da Região – SP (14 a 23/02/2020).

Leia abaixo início da reportagem:


De repente, como se do nada, a cabeça começa a rodar e é como se o chão fugisse debaixo dos seus pés. Essa é a labirintite, uma velha conhecida de muita gente. Queixa muito comum, a condição vem acompanhada de relatos de tontura giratória, tipo vertigem, náuseas e vômito. Há também os que reclamam de uma pressão ou barulho no ouvido, uma espécie de zumbido.

A labirintite é uma inflamação/infecção no labirinto, o órgão responsável pelo equilíbrio, postura e orientação do corpo e que se localiza na orelha interna. “Ela acomete pessoas de todas as idades, das crianças à terceira idade, podendo ser desencadeada por diferentes motivos, principalmente infecções virais”, explica Daniel Magnoni, diretor do Serviço de Nutrologia e Nutrição Clínica do Hospital do Coração (HCOR). “A labirintite pode ocorrer em todas as faixas etárias e causar desconfortáveis tonturas. Tal sintoma aparece em crises ou pode ser mais persistente de leve intensidade ou até incapacitante”, explica a otorrinolaringologista Maura Neves.

Há diversas causas para a labirintite, começando por doenças do próprio ouvido que podem gerar tontura e perda da audição. “Há ainda outras como doenças vasculares, hormonais e metabólicas, principalmente, distúrbios do açúcar, do colesterol e de triglicérides, além de infecções, distúrbios emocionais, traumas e pancadas”, explica o otorrinolaringologista José Eduardo Lutaif Dolci, professor titular da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Acesse reportagem completa aqui.

73 visualizações

Compartilhar :