07/07/21

Pesquisa nacional sobre cobertura vacinal é coordenada por professores da Santa Em fase final, estudo do Ministério da Saúde acontece em São Paulo, Salvador, Manaus, Porto Alegre e Goiânia

Os professores do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) Rita Barradas Barata e José Cássio de Moraes, em conjunto com profissionais de dezenas de instituições no Brasil, estão coordenando o estudo “Inquérito de cobertura vacinal nas capitais e no Distrito Federal em crianças nascidas em 2017 e 2018 residentes na área urbana”. A pesquisa foi encomendada e conta com financiamento do Ministério da Saúde.

Devido à queda na cobertura das vacinas disponibilizadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) observada nos últimos anos, nota-se o ressurgimento de doenças imunopreveníveis que, até então, estavam controladas, eliminadas ou erradicadas. Por essa razão, é fundamental estimar a cobertura vacinal em crianças de três e quatro anos de idade, avaliando o PNI e identificando suas barreiras e facilitadores, de modo a oferecer subsídios para proposição de estratégias para melhorar o seu desempenho.

Pesquisa está sendo realizada em São Paulo, Salvador, Manaus, Porto Alegre e Goiânia; pesquisadores estarão devidamente identificados

A coleta de dados foi concluída em 20 capitais e no Distrito Federal e, agora, está sendo realizada nas cidades de São Paulo, Salvador, Manaus, Porto Alegre e Goiânia. Os entrevistadores que estão visitando as residências, escolhidas por meio de sorteio, foram contratados e treinados por uma empresa especializada em realização de inquéritos domiciliares, e todos estão identificados com crachá e camiseta, com os logotipos do Ministério da Saúde, do SUS e da empresa Science. Para mais informações sobre a pesquisa, ligue 136. 

Em São Paulo serão realizadas 1.808 entrevistas

Na cidade de São Paulo, onde serão realizados quatro inquéritos, cada um com 452 crianças entrevistadas, pretende-se totalizar 1.808 entrevistas. Os dados serão coletados de forma digital em um tablet e, além das informações sobre a criança, o entrevistador irá solicitar uma foto da caderneta de vacinação para obtenção das informações sobre quais vacinas ela recebeu desde o nascimento. A fonte inicial de dados são os nascidos vivos registrados no Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC), com dados nominais da criança, da mãe, do pai e endereço completo. Para tanto, é fundamental que as famílias sorteadas participem da pesquisa, fornecendo dados para que as ações e estratégias necessárias para a ampliação da cobertura das diferentes vacinas sejam reforçadas.

Estudo é financiado pelo Ministério da Saúde

O estudo “Inquérito de cobertura vacinal nas capitais e no Distrito Federal em crianças nascidas em 2017 e 2018 residentes na área urbana” está sendo financiado pelo Ministério da Saúde, por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), registrado por meio do processo CNPq n. 404131/2019-0 e aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia, sob o CAAE: 14306919.5.0000.5030.

 

386 visualizações