Prevalência da hipertensão arterial em mulheres com sobrepeso ou obesidade e diagnóstico de Síndrome Metabólica Artigo é publicado na revista Arquivos Médicos da FCM/Santa Casa

Compartilhar :

Há uma elevada prevalência da hipertensão arterial em mulheres com sobrepeso ou obesidade e diagnóstico de Síndrome Metabólica (SM) no período após a menopausa. Essa é a conclusão de pesquisa publicada na revista Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

A pesquisa realizou um estudo transversal realizado por meio da análise de 1537 prontuários de mulheres após a menopausa atendidas no Ambulatório de Fitomedicamentos da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Foram tabulados dados de 412 pacientes segundo os critérios de inclusão e exclusão. Preenchiam os critérios de inclusão mulheres após a menopausa (amenorreia ≥ 1 ano e FSH ≥ 30 mUi/mL), com IMC ≥ 25 kg/m2, e com diagnóstico de síndrome metabólica segundo os critérios do Adults Treatment Panel III [ATPIII] do National Cholesterol Education Program (NCEP) e da International Diabetes Federation (IDF).

Quanto à Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), foram consideradas hipertensas mulheres com pressão arterial sistólica (PAS) ≥ 140 mmHg e/ou pressão arterial diastólica (PAD) ≥ 90 mmHg, e/ou em uso de anti-hipertensivos e/ou com diagnóstico prévio para a doença.

A prevalência de hipertensão arterial em mulheres com SM foi 73,24% (n=313) pelo critério da IDF e de 85,51% (n=352) pelo da ATP.

O artigo, intitulado “Síndrome metabólica na após a menopausa: prevalência da hipertensão arterial em mulheres com sobrepeso e obesidade”, de Heloisa Harumi Yamamoto, Jacqueline Montalvão Araujo e Sônia Maria Rolim Rosa Lima, pode ser acessado na íntegra gratuitamente em http://arquivosmedicos.fcmsantacasasp.edu.br/index.php/AMSCSP/article/view/84/93

122 visualizações

Compartilhar :