02/08/2021

Professor da Faculdade fala sobre o caso colombiano de vacinação privada contra covid-19 José Cássio de Moraes explica que o preço pago pelas empresas, que compram doses em menor quantidade, acaba sendo mais alto

(Foto: Divulgação/Abrasco)

(Foto: Divulgação/Abrasco)

O professor José Cássio de Moraes, professor do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), foi entrevistado pelo Jornal O Globo na matéria “Os erros da vacinação privada contra a Covid: fraudes, preços exorbitantes e quebra de contrato com governos”, que foi publicada hoje (2/8/21).

Segundo a matéria, que é assinada por Marina Gonçalves e Filipe Barini, “em abril, na Colômbia, a empresa Rappi foi alvo de críticas nas redes sociais ao premiar seus funcionários mais destacados com doses da vacina contra a covid-19, abrindo um debate ético sobre o vacinação privada.”

José Cássio de Moraes explica que o preço pago pelas empresas, que compram doses em menor quantidade, acaba sendo mais alto, tornando o negócio pouco rentável. “Vemos que as grandes companhias estão negociando e descumprindo acordos com o Estado, porque comprar mil doses é mais caro, proporcionalmente, que comprar 1 milhão de doses”, afirmou, referindo-se ao caso colombiano. “Além disso, o que aconteceu em algumas empresas na Colômbia, onde funcionários foram premiados com a vacina, é execrável.”

Além de Moraes, foram ouvidos ainda Adelyne Mendes Pereira, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz; Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim) e Akshaya Kumar, diretora de advocacia de crise da Human Rights Watch.

143 visualizações