12/08/2021

Professores do Departamento de Ciências Fisiológicas têm trabalho premiado em congresso argentino sobre medicina nuclear O novo radiofármaco contribui no manejo e na avaliação por imagem de pacientes com tumores ou metástases relacionados ao câncer de próstata

Professores do Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) receberam o prêmio Dr. Jorge Varela, como Melhor Trabalho de Investigação Básica para o projeto “Estudios preclínicos de 99mTc-PSMA-I&S: evaluación in-vitro y ex-vivo”, apresentado  no “XXII Congreso Argentino de Medicina Nuclear” e no “IX Congreso Iberoamericano de Cardiología Nuclear”, realizados de 26 a 30 de abril, pela “Asociación Argentina de Biología y Medicina Nuclear (AABYMN)”.

O trabalho premiado foca na avaliação radioquímica inicial de um kit liofilizado de PSMA-I&S para radiomarcação com 99mTc, com grande potencialidade de aplicação clínica em Medicina Nuclear. O estudo foi desenvolvido pelos pesquisadores da FCMSCSP Dr. Leonardo Lima Fuscaldi, Dra. Luciana Malavolta e Mestre e doutoranda Danielle Vieira Sobral. Participam ainda do estudo pesquisadores do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) de São Paulo e da Tecnonuclear S.A. de Buenos Aires.

Na foto, da esquerda para a direita: Leonardo Lima Fuscaldi, Ana Cláudia Camargo Miranda, Jorge Mejia (acima), e Marycel Figols de Barboza, Luciana Malavolta e Fernanda Ferreira Mendonça

O 99mTc-PSMA-I&S é um radiofármaco específico utilizado para o diagnóstico de câncer de próstata, constituído por um ligante do PSMA (sigla em inglês para Antígeno de Membrana Específico da Próstata) marcado com o radioisótopo tecnécio-99 metaestável (99mTc). O trabalho avaliou um kit liofilizado de PSMA-I&S, produzido pela Tecnonuclear, para radiomarcação com 99mTc e potencial uso na cirurgia radioguiada para remover tumores ou gânglios linfáticos com metástases (câncer de próstata).

De acordo com os professores Luciana Malavolta e Leonardo Fuscaldi, o radiofármaco 99mTc-PSMA-I&S é usado na cirurgia radioguiada e para a técnica de Tomografia Computadorizada por Emissão de Fóton Único (SPECT) para remover tumores ou gânglios linfáticos com metástases, relacionados ao câncer de próstata. A gama-câmara, equipamento utilizado para aquisição das imagens SPECT, detecta os raios gama emitidos pelo 99mTc e os converte em sinais luminosos que, por sua vez, são processados pelo equipamento e convertidos em pixels, formando a imagem no computador.

“Além disso, o novo radiofármaco permite a aquisição de imagens pela técnica SPECT, sendo uma alternativa aos radiofármacos que produzem a imagem por meio da técnica de Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET)”, disseram. “Assim, este radiofármaco contribui no manejo e na avaliação por imagem de pacientes com tumores ou metástases relacionados ao câncer de próstata, o mais comum entre os homens, excluindo-se o câncer de pele não melanoma.”

Devido à dificuldade de acesso a equipamentos de PET em algumas regiões do país, aliado ao fato deste tipo de exame ainda não estar disponível no âmbito da saúde pública por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), torna-se de grande interesse a possibilidade de desenvolver um radiofármaco que possibilite a obtenção de imagens de SPECT, mais simples, mais baratas e mais disponíveis que as imagens PET.

“A câmara PET é um pouco mais cara que a gama-câmara e, além disso, os radioisótopos emissores de partículas β+ (para a técnica PET) são produzidos em cíclotron, que são bem mais caros e exigem uma infraestrutura mais complexa, o que faz com que a técnica PET seja mais restrita a grandes centros. Assim, a alternativa de radiofármacos para SPECT é um benefício para os pacientes que não têm acesso à técnica PET”, destacaram os professores.

A marcação com 99mTc, disponível em qualquer radiofarmácia clínica, facilitaria significativamente a realização desse tipo de exame. Paralelamente, este radiofármaco marcado com 99mTc teria a vantagem de possibilitar a realização de cirurgias radioguiadas para localização de linfonodos a serem removidos. “A produção de um reagente liofilizado que permita uma marcação rápida, simples e eficiente seria uma alternativa de grande interesse nas áreas de diagnóstico e cirurgia de câncer de próstata”, concluíram.

 

227 visualizações