Risco de morte por Covid-19 entre paulistanos pretos com menos de 60 anos é o dobro dos brancos da mesma faixa etária Professora da FCM/Santa Casa é entrevistada pelo Portal G1

Compartilhar :

Análise feita pelo Observatório Covid-19 BR mostra que a desigualdade socioeconômica e racial entre os distritos de São Paulo aumenta o risco de morte da população negra, menos escolarizada e com renda mais baixa.

Desde o início da epidemia de Covid-19, especialistas alertam que um dos principais grupos de risco são as pessoas com 60 anos ou mais, além de pessoas com doenças pré-existentes. Mas a desigualdade socioeconômica e racial da população também pode aumentar o risco de outros grupos morrerem da doença.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, os paulistanos que se autodeclaram pretos têm um risco de morrer da doença 69% maior do que os brancos. Considerando só quem tem menos de 60 anos, essa diferença pode chegar a 105%, ou seja, dobrar.

Os dados fazem parte de um estudo do Observatório Covid-19 BR ao qual o SP1 teve acesso.

Elaborada pela epidemiologista Karina Ribeiro, professora do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), a análise mostra ainda como a doença tem afetado de forma desigual os distritos da capital paulista.

Veja reportagem completa aqui.

35 visualizações

Compartilhar :