Taxas de lesões do CrossFit® são comparáveis às de outros esportes Pesquisa foi apresentada na FCM/Santa Casa

Compartilhar :

As taxas de lesões do CrossFit® são comparáveis às de outros esportes recreativos ou competitivos, e as lesões mostram um perfil semelhante ao levantamento de peso, powerlifting (levantamento básico), musculação, ginástica olímpica e corrida, que têm uma taxa de incidência de lesões próxima à metade do futebol.

Essa é a conclusão da pesquisa CROSSFIT® NO BRASIL: O PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO PRATICANTE, de JAN WILLEM CERF SPREY, dissertação apresentada ao Curso de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo para obtenção do Título de Mestre em Ciências da Saúde, sob orientação do Prof. Dr. Claudio Santili

O pesquisador explica que o CrossFIt® é um programa de condicionamento físico humano e exercícios físicos que envolve treinamento de resistência, voltado para o desempenho atlético, que vem ganhando reconhecimento e interesse crescente dentre a população fisicamente ativa.

No Brasil existiam em 2015, cerca de 440 academias e ginásios de CrossFit® afiliados, totalizando aproximadamente 40 mil atletas. Hoje este número é superior a 1200 ginásios, ultrapassando 150 mil praticantes.

Segundo o autor, até a data do trabalho, em 2019, não havia nenhum estudo epidemiológico sobre praticantes de CrossFit® no Brasil.

O objetivo foi investigar o perfil dos atletas ou alunos regulares de academias e ginásios de CrossFit® no Brasil, seu histórico em relação às atividades esportivas, sua rotina de treinos, seus hábitos e a incidência de lesões durante essa prática.

O estudo transversal foi baseado em um questionário direcionado para praticantes de CrossFit® em diversas academias especializadas no Brasil. As informações foram coletadas de maio de 2015 a julho de 2015 por meio de um questionário eletrônico criado.

O questionário incluiu dados demográficos como idade, sexo, grau de sedentarismo no trabalho, histórico de prática esportiva prévia ao início do CrossFit®, rotina de treinamento atual, prática de outras atividades esportivas concomitantes, acompanhamento profissional e se sofreram algum tipo de lesão durante a prática do CrossFit®.

Foram obtidas 622 respostas, sendo que 566 responderam o questionário na íntegra e preencheram os critérios de inclusão, sendo 9% dos questionários respondidos de forma incompleta. 243 pessoas do sexo feminino (42,9%) e 323 do sexo masculino (57,1%). No geral, foram encontradas 176 pessoas (31,0%) que referiram ter sofrido algum tipo de lesão durante a prática de CrossFit®.

Não houve diferença significativa na incidência de lesões em relação ao sexo ou faixa de idade. Em relação aos dados antropométricos como peso, altura e IMC, também não houve diferença estatística. Não houve também, diferença em relação a vida esportiva pregressa, uma vez que pessoas que não praticavam atividades físicas anteriormente, ou praticavam nos mais diversos níveis, apresentaram taxa de lesão muito próxima.

O trabalho pode ser acessado na íntegra gratuitamente em: http://fcmsantacasasp.edu.br/wp-content/uploads/2019/12/2019-Jan-Willem-Cerf-Sprey.pdf

184 visualizações

Compartilhar :