24/6/2020

Vacina Meningo ACWY já é oferecida na rede pública; veja quem deve tomar Professor da FCM/Santa Casa é entrevistado pela Revista Crescer

Compartilhar :

A rede pública de saúde passou a oferecer, a partir de março deste ano, a Vacina Meningocócica conjugada quadrivalente — ACWY.

Mas quem pode ser imunizado?

Por enquanto podem tomar a vacina na rede pública pré-adolescentes de 11 e 12 anos. Desde março, mais de 3 milhões de doses foram distribuídas em todo o país.

Antes de março, a vacina meningo ACWY era disponibilizada apenas em clínicas particulares. A imunização era indicada para crianças a partir de 2 meses e adolescentes, adultos e idosos com condições que aumentem o risco para a doença meningocócica e viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença.

Questionado pela CRESCER se crianças que já tomaram a vacina no sistema privado devem tomar novamente na idade indicada, o Ministério da Saúde respondeu que “a vacina é administrada em dose única ou reforço, conforme a situação vacinal encontrada.”

Por que começar com adolescentes?

Apesar de no Brasil, de forma geral, o W ser o sorotipo que mais acomete crianças de 1 a 2 anos, a estratégia do Ministério da Saúde é, inicialmente, introduzir a vacina ACWY para adolescentes. O pediatra Marco Aurélio Sáfadi, da comissão técnica para revisão dos calendários vacinais da SBIm e diretor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, explica que um estudo recente revelou que de 1.200 adolescentes de 11 a 19 anos, 10% carregavam a bactéria em suas nasofaringes.

“Mais de 95% dos casos ocorrem por transmissão respiratória. De 10 a 15% da população carrega a bactéria meningococco, e a maioria são adolescentes e adultos, por seu comportamento que inclui frequentar locais como baladas e a troca de beijos. Sabemos que essas pessoas podem conviver em harmonia com a bactéria, mas, ao passar para uma criança que não tenha anticorpos para se proteger, pode ser fatal. É dessa forma que a maioria dos casos são transmitidos”, explica. Portanto, segundo o especialista, ao vacinar os adolescentes, consequentemente, as crianças também estarão protegidas.

Leia reportagem completa aqui.

151 visualizações

Compartilhar :