Violência doméstica na pandemia e uso do álcool: um alerta da ONU Texto de professor da FCM/Santa Casa

Compartilhar :

Em declaração recente, o Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, Antonio Guterres, pediu que todos os países protegessem mulheres e crianças, as principais vítimas de violência doméstica. Nesse alerta, Guterres mostra evidências de que o confinamento das pessoas em suas casas, nesse período de isolamento social devido à pandemia, levou a um surto de violência doméstica. A proteção das pessoas mais vulneráveis nesse momento é um dever que vai além da saúde pública, mas que passa necessariamente por ela. O que se pode fazer, da perspectiva da saúde mental?

É sabido que um dos fatores mais correlacionados com violência doméstica no Brasil é o uso de álcool. O fato de as pessoas ficarem em casa pode favorecer o uso abusivo de álcool e facilitar os atos violentos. Pedimos a todos que durante os tempos de pandemia reduzam ao máximo o uso de álcool e, se possível, evitem usá-lo. Se a decisão pessoal for pelo uso da substância, é importante que não seja feito em horários em que normalmente a pessoa não bebia. Também uma estratégia importante é não fazer estoque de bebidas em casa, pois isso facilita o uso abusivo. O esforço de todos e cada um fará com que passemos da maneira mais segura possível esses tempos possíveis.

Guilherme Messas, psiquiatra, é docente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) e coordenador do Comitê para Regulação do Álcool (CRA).

Leia mais sobre o tema: https://nacoesunidas.org/chefe-da-onu-alerta-para-aumento-da-violencia-domestica-em-meio-a-pandemia-do-coronavirus/

Foto: UNICEF: Mulher segura sua filha mais nova no Wisdom Center, na área de Gurei, em Juba, no Sudão do Sul, depois de ser espancada pelo marido

213 visualizações

Compartilhar :