27/10/2021

Cursos de graduação da Faculdade da Santa Casa de São Paulo estão entre os melhores do país, de acordo com Guia da Faculdade do Estadão Os professores doutores Adriano Namo Cury e Lívia Keismanas de Ávila foram entrevistados pela publicação, que é referência nacional

O jornal O Estado de S. Paulo lançou no domingo (24) o Guia da Faculdade com o ranking dos melhores cursos de graduação do país. Dos cinco cursos de nível superior ofertados pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) — Medicina, Enfermagem, Fonoaudiologia, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Sistemas Biomédicos — a publicação avaliou três: Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia. Estes cursos receberam classificação entre os melhores do Brasil, obtendo quatro estrelas que equivale a ‘Muito bom’. A publicação de O Estado de S. Paulo é realizada em parceria com o Quero Educação.

Segundo o Guia da Faculdade, é utilizada uma metodologia conhecida como “avaliação por pares” para analisar a qualidade de mais de 15 mil cursos superiores em todo o Brasil. Nesse processo, a equipe do Guia atua como um instituto de pesquisa, colhendo a opinião de milhares de professores que atuam no ensino superior. Cada coordenador de curso que será avaliado recebe um questionário no qual pode apresentar as principais características da sua graduação, com foco em três aspectos: Projeto pedagógico (Características da proposta de ensino do curso), Corpo docente (Perfil dos professores vinculados ao curso) e Infraestrutura (Condições de materiais e equipamentos oferecidos).

Coordenadores dos cursos de Medicina e Enfermagem da FCMSCSP falaram à publicação

As análises dos professores doutores Adriano Namo Cury, diretor do curso de Medicina, e Lívia Keismanas de Ávila, diretora do curso de Enfermagem, sobre as profissões foram destacados pela publicação.

Para Cury, a graduação deve ensinar a prática médica com excelência, com humanidade e respeito ao paciente, pautando constantemente a formação na ética e nos direitos humanos. Segundo ele, com boas oportunidades de carreira e crescimento profissional multifacetário, o médico vivencia atualmente uma realidade com melhores métodos de diagnósticos de doenças e novas tecnologias para tratamento. “Todo esse conjunto de avanços, como a telessaúde, que acabou ganhando impulso durante a pandemia, serve para facilitar o cuidado do paciente, aprimorar a segurança do tratamento de enfermidades, auxiliando no rápido diagnóstico e no planejamento ágil do que devemos fazer pelo doente. Desse modo, o mercado médico se renova com todo esse avanço do conhecimento que se expande também para as áreas de tecnologia e inovação. Isso deverá estar sempre aliado ao dia a dia da prática médica, que se aprimora com a boa relação médico-paciente, boa comunicação e o cuidado ético com o próximo”, lembra.

Ainda segundo a publicação, por causa da pandemia de covid-19, a área de Enfermagem recebeu grande destaque e acabou evidenciando não somente as questões de cuidado, que são responsabilidade dos enfermeiros, mas também os temas relacionados às práticas e à gestão dessas ações.

“Também em função da pandemia do novo coronavírus, é importante destacar o crescimento do empreendedorismo e das atividades que envolvem a assistência ambulatorial, os consultórios particulares, a assistência domiciliar, a realização de serviços como o gerenciamento de salas de vacinas, de clínicas de vacina, além da atuação em estruturas hospitalares, neste caso mais relacionada à assistência do paciente grave e nos cuidados dos crônicos”, ressalta a diretora do curso da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), Lívia Keismanas de Ávila.

Confira a publicação na íntegra aqui.

 

423 visualizações